terça-feira, 22 de outubro de 2013

Quanto Tempo Eu Levei para me Estabilizar Financeiramente

Essa semana eu recebi um e-mail que me fez pensar muito em tudo que nós (meu marido e eu) fizemos aqui em Israel.

Obviamente que eu não vou postar o nome de ninguém aqui, mas ele me fez algumas perguntas e uma delas especificamente me fez observar certas coisas que até então eu ainda não havia  prestado atenção.

Eu pensei em escrever sobre o assunto, mas acho que postar a pergunta e a resposta, vai ficar mais interessante e mais honesto, afinal é exatamente o que eu penso sobre o assunto:

A pergunta foi:

Em quanto tempo você se estabilizou em Israel no sentido financeiro e pessoal? 

Não sei se houve um momento em que eu olhei para mim e falei, agora estou estabilizada financeiramente. Mas eu acho que essa estabilização aconteceu mais ou menos quando nós compramos o nosso gato. Nesse momento a gente já tinha nossa casa montada, já tínhamos nossa vida plenamente estabelecida em todos os aspectos. 


Nós conseguimos pesquisar os gatis da raça dele na internet e tratar com as pessoas por telefone, tudo em hebraico, ainda não era o melhor hebraico do mundo, mas já funcionava bem. 


Comprar um bicho ainda mais caro como ele, é algo que só se faz com a vida muito tranquila, demos 2500 shekels no nosso gato. Fora um monte de outras coisas que você acaba tendo que comprar junto. 


Nesse momento nós sabíamos que Israel era definitivo e acho que comprar o nosso gato foi o nosso primeiro ato de estabilização, pelo menos que me ocorra agora. Nós compramos ele exatamente em novembro de 2010, estávamos há 1 ano e 4 meses em Israel.


Oxford, nosso parceirinho há 3 anos. =^.^=
Agora, não sei exatamente o que você quer dizer com estabilização pessoal. Minha estabilização como ser humano em Israel, quando eu  me senti parte do país acho que foi quando eu saí do Merkaz com 6 meses de Israel. 

E quando eu senti que o país era parte de mim acho que quando meu hebraico ficou pleno e quando eu vim morar em Nazareth. Aqui eu me achei totalmente e aqui eu passei a ter o mesmo tipo de vida social que eu tinha no Brasil. Eu mudei para cá com 1 ano e 10 meses de Israel, então eu diria que minha estabilização total levou uns 2 anos.

Hoje, no dia a dia, eu nem me lembro que não nasci aqui, de verdade mesmo.

Isso foi o que eu respondi para ele. Só que eu acho que eu fiquei devendo a explicação de como eu fiz e por que eu fiz?

É interessante quando a gente pensa em datas e números porque os primeiros meses em Israel foram muito cansativos e me pareceram muito longos e demorados, mas hoje olhando para trás eu vejo como tudo aconteceu de maneira rápida.

Com sinceridade, eu não acho de maneira nenhuma que a minha história seja exemplo para ninguém, as pessoas têm as suas próprias experiências e fazem suas escolhas com base nas suas necessidades pessoais. 

Eu tenho posicionamentos muito radicais em relação a uma série de coisas. Estudar hebraico exageradamente e não ter amigos brasileiros são dois desses posicionamentos.

Tudo bem, eu admito que hoje eu conheço algumas meninas brasileiras aqui em Israel, que eu conheci através do blog, que são pessoas super legais e com quem eu falo pelo facebook, mas não muda a péssima experiência que eu tive com Brasileiros em Israel lá no começo e não muda o fato de eu achar que se eu tivesse " me escorado" em meia dúzia de brasileiros quando cheguei não acho que eu teria conseguido tudo que eu consegui tão rapidamente, ao menos eu não tinha ninguém para me tirar o foco dos estudos e nem para viver falando mal de Israel o tempo todo.

Acho que as pessoas se acostumam a perguntar tudo, onde vende isso, como eu faço aquilo, será que você pode ir comigo em tal lugar? Isso pode até ser uma ajuda imediata, mas te prejudica e muito a longo prazo. 

Que raio de pessoa é você que precisa estar cercado de gente com a mesma procedência que você? O que vocês são "Robôs made in Brazil" que só funcionam junto com os da mesma série? Mudar de país exige muita coisa e uma delas é esse "desapego tribal". 

Se deem ao direito de conhecer gente nova com pensamentos novos. Pedir e perguntar vicia e o que é pior te vicia em gente que muitas vezes sabe tão pouco ou menos que você. Ser do Brasil e estar alguns anos em Israel não qualifica ninguém a saber mais do que você, então por que confiar na resposta de alguém? Por que não tentar descobrir sozinho as suas próprias respostas? Aprendam a fazer as coisas sozinhos. Seja o que for, só é necessário aprender uma vez.

E ter conhecido algumas pessoas legais do Brasil no meio de um monte de gente pouco interessante (para usar uma expressão suave. rsrs) só reforça o que eu vivo repetindo, inclusive aqui no blog mesmo: "Amigo se escolhe por afinidade e não por nacionalidade". 

sábado, 19 de outubro de 2013

Israel o País das Promoções e do Crédito Fácil

Apesar do custo de vida relativamente alto, Israel é um país que vive em promoção, tudo entra em promoção o tempo todo.

Basicamente existem duas formas de se fazer promoção em Israel:

As promoções correntes do dia a dia, sem data especial para ocorrer e que normalmente toda loja faz é a 1+1 (Ehad plus Ehad) que não é enganação como no Brasil é promoção mesmo. O produto custa um preço X num dia e no outro dia você leva 2 pelo mesmo preço. Depois disso as promoções mais usuais são as de 40%, 50% e 80%. Em muitas lojas quando você não quer levar 2 produtos na promoção de 1+1 eles te dão 40%.

Eu sei que muita gente acha que isso é venda casada, mas não é, o Brasil inventou a essa bobagem de venda casada, transformou isso em proibição legal e o comércio perdeu toda a capacidade ser atrativo e o consumidor perdeu a enorme oportunidade de obter vantagens. Essas promoções são sim extremamente vantajosas.

E outra forma, um pouco mais conhecida de se fazer promoção é a "promoção de fim de estação (Sof Onah), que é basicamente por a venda tudo que é da estação passada pela metade do preço. Isso vale para todo tipo de loja, móveis, roupas, eletrodomésticos, enfim todo tipo de comércio e até muitos prestadores de serviços fazem esse tipo de promoção.

E no meio dessas promoções ainda tem as promoções vinculadas aos feriados, a maioria dos feriados enseja algum tipo de promoção em alguma área do comércio.

Promoções, pelo menos em Israel, são uma forma de movimentar o comércio, de atrair a atenção do cliente e não verdadeiramente necessidade de queimar estoque.

Sem falar que não existe a possibilidade de você sair de um supermercado, farmácia ou qualquer grande loja sem te oferecerem e praticamente implorarem para você aceitar um cartão de crédito. Que na maioria das vezes é aprovado na hora e sem nenhuma burocracia, geralmente todo o processo não chega a levar mais do que 5 minutos.

E aliado a isso você ainda recebe centenas de SMSs com promoções e descontos relâmpagos que vão durar 1 dia, às vezes 1 semana, e-mail, correio, enfim, todas as formas de correspondência te enviam notificação de promoção o tempo todo.

Que legal! Tudo tão fácil e cor de rosa.
Verdade! Tudo super fácil e... super perigoso!

Esse monte de promoção vicia!
Você nem quer um daquele, mas dois está tão barato que você vai lá e compra. Essa é a perversidade da coisa.

E aí você paga num dos 9 cartões de crédito que você tem e vai vivendo sua vida para pagar aquele monte de 1+1 super vantajoso e aquelas outras coisas com 80% de desconto que você lembra de usar uns 6 meses depois da compra.

E é por isso que Israel é um dos países do mundo com mais gente endividada no banco. Poucos são os israelenses que não tem pelo menos um problema do gênero.

Mas, se você conseguir ser um ser humano equilibrado, Israel é um paraíso para comprar qualquer coisa.
Então resista, se puder:

A loja inteira na promoção de 1 produto com o segundo grátis. Você paga o preço do mais caro, óbvio.





8 produtos por 8 shekels e embaixo qualquer produto paga um e leva outro grátis.


Em cima preço por kg, embaixo por unidade.

Todos os produtos você paga 2 e leva +1 grátis. Nesse caso são 3 produtos iguais. 

Preço por kg.


Em cima: comprando 3 produtos - 55% de desconto; 2 produtos 50% e 1 produto 45%. Embaixo preço dos perfumes por unidade.



*Fotos tiradas da internet.



quinta-feira, 10 de outubro de 2013

O Que Não É e o Que Não pode Ser.

Primeiramente eu queria começar esse post agradecendo o carinho de vocês comigo, o voto de confiança que vocês dão a mim e ao blog, mas eu preciso esclarecer certas coisas:

Primeiro, eu não sou guia de turismo. Eu entendo que quando você lê um texto meu isso nos aproxima e você tem a sensação que me conhece e por isso se sentiria mais seguro (a) sendo guiado por mim. Ok, mas essa não é minha profissão e nem eu pretendo que seja. Guias de turismo em Israel precisam ser legalizados para trabalhar nesta área e mesmo que não precisassem eu tenho a minha profissão e o meu trabalho. Eu agradeço de coração, mas de verdade, para mim não dá.

Segundo, eu até posso dar aula de hebraico, desde que você more no norte de Israel. Não há como eu te dar aula em Tel Aviv ou em Jerusalém, não tenho horário para isso. E não há a possibilidade de eu dar aula via skype para o Brasil porque a nossa diferença de fuso-horário é muito grande. Ficaria impossível conciliar.

E terceiro, eu não coloco propagandas nesse blog. Esqueça! Se você quer que eu escreva um texto para você, entre em contato, dependendo do assunto eu escreverei, mas não espere que eu publique um post nesse blog sobre algo que não tenha a ver com a proposta do blog, porque eu não irei. E só para esclarecer, este blog não é sobre viagens, nem turismo. Este blog é sobre viver em Israel ou no máximo sobre viver fora do Brasil. Ponto final.

E por fim, não se preocupem eu não parei de escrever para o blog, eu apenas estou com pouco tempo.

Acho que muitos de vocês sabem, mas para os que não sabem eu estou mudando de profissão, então estou estudando e trabalhando e isso está consumindo demais o meu tempo.

Creio eu, que em mais dois meses as coisas voltem ao normal, mas até lá eu publicarei sem muita regularidade mesmo. E embora eu esteja demorando para responder as perguntas de vocês, não deixem de perguntar ou sugerir temas, porque é o feedback de vocês que me faz saber o que vocês querem ver por aqui.

E para não dizer que eu não posto vídeos, um vídeo de um parque aqui em Nazareth Ilit que se chama Park Zeitim (Parque das Oliveiras). É um parque numa região bem central da cidade.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...