domingo, 29 de julho de 2012

As Quatro Estações

Ao Contrário do que se possa pensar, Israel nem de longe é um deserto e muito menos é um país quente.
Israel é um país localizado no hemisfério norte e como tal, possui quatro estações bem definidas. Israel é bastante quente e seco no verão, mas assim que acaba o verão o clima esfria bastante e o inverno é bem frio, chegando mesmo a nevar em algumas regiões.

Não sei porque a mídia vende a ideia de que Israel é um país desértico de clima quente, já que aqui faz frio praticamente 9 meses por ano.

É verdade também que embora pequeno, é possível encontrar uma diversidade muito grande de solo e vegetação ao longo do país, sem falar que Israel produz grande parte das frutas, legumes e laticínios que consome, além de ser também um grande exportador desse tipo de cultura e líder mundial em pesquisa agrícola.
A grosso modo se pode dizer que Israel é mais verde, fértil e frio no norte e conforme se vai caminhando para o sul, o país se torna um pouco menos frio e com menos vegetação (mas o inverno e o outono são frios no país todo).

Israel é um país de clima mediterrâneo, portanto quente e seco no verão e frio e chuvoso no inverno e mesmo nas regiões desérticas no inverno faz bastante frio.

Vale lembrar também que os desertos de Israel não são desertos de areia, mas sim de pedras e são bastante frios no inverno, assim como todo o resto do país.

Então se você está pensando em morar em Israel, saiba que aquela jaquetinha Jeans pode ser muito útil na primavera, mas logo depois ela terá que dar lugar a casacos mais pesados que serão seus companheiros inseparáveis a maior parte do ano, como se pode perceber nas fotos abaixo:





sábado, 28 de julho de 2012

Brasileiros em Israel

A comunidade brasileira em Israel não é lá muito grande e menos ainda unida e a verdade é que uma das formas mais certas de boicotar o seu processo de imigração é se envolver em uma comunidade de brasileiros ou de latinos de um modo geral.

Eu não estou dizendo que você não possa ter um ou dois amigos brasileiros, argentinos ou latinos de qualquer outra parte.

Ocorre que a tal "comunidade latina" em Israel não é lá um grande exemplo de comunidade. Eu não sei exatamente como funcionam essas comunidades em outros países, mas em Israel costuma ser um grupo de fracassados que se reúne com o único propósito de falar mal de Israel e do hebraico, compartilhar frustrações e muitas vezes tentar bancar o esperto em cima de quem está acabando de chegar em Israel.

Sem falar que infelizmente só conseguem empregos de menor qualificação. Claro que todo trabalho é digno, mas se há um lugar no mundo onde a frase "diga-me com quem andas e te direi que és" é certa, esse lugar é Israel.

Escolher bem seus amigos e selecionar bem as primeiras informações que te dão vai fazer toda a diferença entre seu processo de aliá e posterior adaptação dar certo ou não.

Obviamente, eu não estou dizendo que não existam boas pessoas do Brasil ou de qualquer outro país latino americano, mas essas pessoas em geral, tocam a vida integradas à sociedade israelense, não se escondem à margem de uma pseudo comunidade excludente e depressiva. 

como eu já disse outras vezes, Israel é um país com muitas particularidades, e uma grande característica de israel é que é mais fácil você se adaptar à Israel e aos Israelenses logo de cara do que tentar se integrar a uma comunidade latina, onde teoricamente estariam seus iguais, e perceber o quanto eles são diferentes de você e de todo o resto dos Israelenses.

A verdade é uma só, se o Israelense não te exclui da sociedade, por que você irá se auto-excluir?

terça-feira, 24 de julho de 2012

Entendendo a Realidade

Conhecer Israel em 10 dias é como ler um guia de turismo sobre a América do sul, escrito por um americano que passou no continente sul-americano não mais do que duas semanas.
Você pode até ver boas fotos e obter informações corretas, mas o fato de serem corretas não as torna úteis quando aplicadas a realidade.

Em outras palavras, passar alguns dias em Israel como turista não te dá base alguma para entender como o país funciona. Os olhos do turista são sempre bobos e deslumbrados com o desconhecido.

O primeiro passo para entender como um país funciona é parar de enxergar pela sua ótica e passar a entender as coisas pela ótica local. Não veja o que você quer ver, esqueça o que te contaram e o mais importante, aprenda a tirar suas próprias conclusões.

O primeiro degrau da decepção é a frustração de uma expectativa, sobretudo quando essa expectativa é irreal. Muito dificilmente alguém chega em Israel com a exata noção do que vai encontrar e isso se resume numa única palavra: fantasia.

As pessoas fantasiam muito a respeito de Israel, mas a verdade é uma só, claro que Israel tem suas particularidades e seu modo de vida, mas de forma alguma é um país estereotipado, nem vive em guerra, nem é ultra-religioso, nem muito menos é um deserto, muito pelo contrário, é um país com uma diversidade enorme de solo, climas e, invariavelmente, é frio a maior parte do ano.

Portanto, aprenda a domar o seu primeiro olhar e a enxergar a realidade sem tirar conclusões precipitadas baseadas num suposto conhecimento que não condiz em nada com o mundo real.

Mar da Galileia - Tibérias - Israel



quinta-feira, 19 de julho de 2012

Israel em Área e Dimensões

No Brasil a gente tem a mania de medir as coisas em Bélgicas, né? Quem nunca escutou, a fazenda de fulano é do tamanho de 18 Bélgicas? ou ainda, só de área improdutiva era o equivalente a 30 Bélgicas?

Pois é, e Israel? Israel é um terço menor que a Bélgica. Matematicamente falando seria:

[Israel  1/3 <  Bélgica]

Isso seria o equivalente a dizer que Israel é do tamanho do Estado do Sergipe, ou seja, uma área de um pouco mais de 20.000 km² (é mil não é milhões não, tá?)  e tem a mesma população da CIDADE do Rio de Janeiro, aproximadamente 7 milhões de habitantes. Deu para entender? :)

Por isso, eu acho ridículo quando eu vejo alguém chegar aqui em Israel e falar eu vou morar em Tel Aviv porque é cidade grande. Grande? Que grande? Não existe nada grande em Israel.

A gigantesca Tel Aviv tem cerca de 400 mil habitantes, portanto menor que Ribeirão Preto.

É como eu sempre digo, mas do que conhecer um país, é preciso entendê-lo.

As cidades em Israel são todas pequenas, mas não são provincianas, ao contrário, são planejadas e bem estruturadas e a grande maioria está apta a crescer.

Em Israel as cidades são desenvolvidas para que você não precise nem sair do seu bairro, então todo bairro tem um centro comercial com pelo menos um supermercado mediano, farmácia, loja de roupas, pet shops, mercearias e lojas de bugigangas em geral. claro que nada impede que você vá a um supermercado em outro bairro, ou vá a um shopping fazer compras, claro que todo mundo faz esse tipo de coisa, mas precisar não precisa.

Escolher a cidade em que se vai morar em Israel é apenas uma questão de estilo de vida, porque muito dificilmente não vai existir alguma coisa na sua cidade.

Seja como for, grande ou pequeno, uma coisa é certa, em poucos lugares do mundo o sol nasce e se põe, tão lindamente como em Israel:


Nascer do Sol em Eilat - Israel

Pôr do Sol em Ashdod - Israel



Supermercado

Não importa que estilo de vida você leve ou que tipo de pessoa você seja, gostando ou não, o supermercado é um lugar que cedo ou tarde você terá que visitar.

Ué? mas Israel não é cheio dessas feirinhas marroquinas? Não minha gente, como o próprio nome já diz, feirinhas  marroquinas são marroquinas, portanto devem ser encontradas em Marrocos, por aqui a coisa funciona como em qualquer país ocidental, na base do supermercado mesmo.

E antes que alguém pergunte, sim eu odeio supermercados! Mas fazer o que? É só mais um dos tantos males necessários da vida moderna.

Mas eis que é chegada a hora de descobrir como é um supermercado israelense. Vamos ilustrar com uma foto antes de continuar?

Meu marido numa das primeiras vezes que fomos a um supermercado aqui em  Israel

A foto acima é no estacionamento de um supermercado em Ashdod, primeira cidade que moramos em Israel. Agora me diz, parece com algum estacionamento de algum supermercado ou shopping do Brasil?

Pois é, o tal choque cultural de que tanto as pessoas falam quando mudam de país, em Israel normalmente é às avessas, aqui é muito mais comum você se chocar pelas semelhanças do que pelas diferenças.

Mas calma que nem tudo é tão igual assim. Primeira coisa realmente diferente dos supermercados são os carrinhos, aqui você precisa introduzir algo para soltá-los. E lá se foram uns cinco minutos até descobrirmos que esse algo era uma moeda de 5 shekels. 

Não, eles não cobram para usar o carrinho, quando você devolve o carrinho, você retira sua moeda, eles fazem isso para evitar que as pessoas deixem os carrinhos espalhados depois das compras. É um bom método! E depois com o tempo você descobre que dá para usar a chave, alguns chaveiros, enfim. 

Problema resolvido com o carrinho, hora de entrar e sentir na pele a "dor" do analfabetismo (rsrs)!

Claro que tudo estava em hebraico e óbvio que nós mal conhecíamos as letras (estudamos uns 15 dias antes de vir para cá), diante disso não preciso nem dizer o tamanho da Alegria que sente ao se reconhecer uma embalagem de batata Pringles, né? 

É, o processo de imigração é recheado de alegrias estranhas!

O que nos restou foi intuir o que havia dentro das embalagens, acreditar na boa-fé dos marketeiros que fazem os rótulos e desenvolver o nosso critério de seleção. Embalagem bonita a gente compra, embalagem feia a gente cheira, se o cheiro for bom a gente compra, se não tiver cheiro a gente deixa. 

E se o produto for bom como é que compra de novo? Tira foto de celular.
Nessa hora você entende porque logo que você chega em Israel você é praticamente obrigado a comprar um celular, porque você não sabe ler, você não sabe falar, mas foto você consegue tirar, e acredite, isso resolve uns 60% dos seus problemas por muito tempo.

Saldo das compras: alguns equívocos [ops, pensei que era biscoito, mas era chá, malditos marketeiros!], algumas gratas surpresas, algumas latas de Pringles e algumas coisas que são iguais no mundo inteiro, tipo laranja, maça, banana, pasta de dente etc.

Uma hora de supermercado e você volta para casa morto de cansaço e com a sensação de ter tido uma experiência única.



quarta-feira, 18 de julho de 2012

Desembarcando na Terra Santa

Quando se viaja a passeio se costuma ter impressões sobre os lugares, mas quando se imigra cada situação produz um impacto enorme sobre você, ainda mais quando não se conhece o lugar e o idioma do local.

Logo que se chega em Israel você tem 4 missões inadiáveis:

  • Tirar sua identidade israelense (teudah zehut)
  • Abrir uma conta num banco - Afinal você tem dinheiro a receber;
  • Comprar um celular - Sem telefone não se abre conta em banco
  • E se inscrever num seguro-saúde - Talvez seja a tarefa menos importante, mas é obrigatório e de graça, então...

Se você chegou até aqui por aliah a Agência Judaica vai te orientar e dar algum suporte. Entenda bem, dar algum suporte não significa que eles irão disponibilizar um "mucamo" que ficará a sua disposição, mas você será auxiliado, provavelmente por alguém que fale português ou algum outro idioma que você entenda. E de qualquer forma, não há muito com o que se preocupar, já que tudo já vem bem encaminhado do Brasil, poucas são as pessoas que tem algum tipo de transtorno nesse quesito.


Caso você tenha vindo por casamento seu marido ou esposa será a melhor pessoa para te orientar e se você é uma dessas raras pessoas que aportou aqui sem maiores vínculos com a terrinha, infelizmente eu não sou a melhor pessoa para te orientar nesse primeiro momento.

Ultrapassadas essas chatas, porém necessárias questões burocráticas, chegou a hora de verdadeiramente digerir descobrir Israel. :)

Portanto, nesse momento, meu único conselho é, descanse e se prepare, porque a verdadeira viagem começa agora! 

*Esse foi o último post com ar "didático", os próximos serão exclusivamente baseados na nossa (minha e do meu marido) vivência em Israel.




Israel é o Lugar Certo para Mim?

Embora a maioria das pessoas que venham para Israel o façam por Aliah e portanto, porque possuem algum vínculo com o judaísmo, na realidade a grande motivação dessa imigração é o desejo de viver fora do Brasil, sejam sinceros consigo mesmos, muito pouca gente vem para Israel motivado por religião.

Mas seja como for, agora que você já clareou as idéias sobre viver no exterior e reviu seus conceitos sobre Israel (se ainda não reviu por favor leia os textos anteriores), chegou a hora de se fazer a última e talvez mais importante pergunta antes de optar pela imigração de fato: Israel é o lugar certo para mim?

Claro que você é a única pessoa que poderá fazer essa avaliação, mas a melhor forma de fazer isso é tentando entender o país e o povo israelense pela ótica de Israel e não mais pela ótica do Brasil.

Na prática Israel tem duas coisas que assustam muito a maioria das pessoas, o idioma (hebraico) e o povo israelense.

Sendo assim, a primeira coisa que você precisa levar em consideração é a sua capacidade de adaptação, já que embora Israel seja o país mais ocidentalizado do Oriente Médio, sendo possível perceber, até certo ponto, algumas semelhanças com o Brasil, a formação do povo é outra.

Israel é um país mediterrâneo com forte influência do leste europeu, portanto o povo Israelense também tem o sangue quente, assim como os latinos, só que por terem um jeito de se comportar diferente do que se vê em países latinos é comum se dizer que o israelense é mal-educado.

Os israelenses não são mal-educados, eles simplesmente têm um jeito próprio de se tratar. O que à primeira vista pode parecer grosseria na verdade é apenas mais uma característica, afinal eles são assim com todos, falam alto, dizem o que pensam, gritam por tudo, têm uma dificuldade enorme de esperar, furam fila, enfim, como se também não existisse esse tipo de coisa em outros países.

Mas uma coisa é certa, por Israel ser um país constituído basicamente por imigrantes, que aliás chegam até hoje de todas as partes do mundo, não há em Israel preconceito por você ter nascido nesse ou naquele país, podem até existir outros tipos de preconceito, mas quanto à nacionalidade, de fato não há.

Inclusive porque, muito poucos são os israelenses nativos, cujos os pais tenham também nascido em Israel e se for analisar os avós então, esse número cai ainda mais. Sendo assim é fácil perceber que a migração e a mistura de culturas e línguas está no sangue dessa nação tão jovem e tão peculiar chamada Israel.


Agora, se por um super ultra acaso da vida, a sua motivação for religiosa, realmente Israel deve ser o lugar certo para você, saiba apenas que o judaísmo praticado aqui não tem a mesma "pompa" do Brasil, ele é praticado de maneira mais, digamos, popular, já que aqui o judaísmo atinge pessoas de todas as classes e origens. Quanto ao resto, simplesmente leia o texto novamente.


E com relação ao hebraico não tem muito o que dizer, é o principal idioma de Israel e quer queira quer não você vai ter que aprender, se quiser ter uma vida pelo menos razoável por aqui.

Ah! mas eu falo inglês. 
Ótimo para se virar no começo, em algumas cidades, mas não vai bastar.

Resumidamente, o hebraico é sim uma língua diferente, inclusive no jeito de pensar, o que a torna difícil para nós, mas não é impossível de se aprender, basta ter determinação e vontade (ou paciência!) de estudar.

Só existem duas coisas que você precisa ter para conseguir sobreviver em qualquer país: capacidade de adaptação e desapego ao que ficou para trás. Com essas duas ferramentas você resolve todos os seus problemas.



terça-feira, 17 de julho de 2012

O Que Você Sabe sobre Israel?

Você já parou para pensar o que e quanto você sabe a respeito de Israel?

Vamos começar de um jeito diferente, responda sinceramente, qual das alternativas abaixo mais descreve o seu pensamento quando pensa em Israel?

a) Israel é um país super tecnológico, as coisas devem ser incríveis por lá.
b) Israel é um país devastado por guerras e com a minha formação vou me dar bem lá.
c) Israel é uma grande comunidade judaica onde todos se ajudam e onde não existe pobreza, afinal onde já se viu judeu pobre?

Se qualquer destas pérolas algum dia passou pela sua cabeça, por favor não venha para Israel, faça um enorme favor a você e volte a estudar, compre um livro, vá ler e tente colocar qualquer coisa no espaço vazio dessa sua cabeça.

A primeira coisa a ser entendida, o ponto base de tudo é o seguinte, Israel é um PAÍS e como todo país tem seus problemas e suas qualidades.

Claro que Israel é detentor de inúmeras patentes tecnológicas. Muita coisa que faz parte do dia a dia de milhões de pessoas nos dias de hoje foram sim inventadas ou desenvolvidas em Israel, só para citar as mais comuns podemos falar da tecnologia de telefones celulares, o chip MMX da intel, o pen drive USB, sem falar em inúmeras criações na área de medicina, agricultura e também é claro na área militar.
Ok, tudo isso é verdade, porém isso não significa que você vai sair do avião e desembarcar no meio de um filme futurista, certo?

E assim como Israel não é o fantástico mundo dos Jetsons, também não é um lugar devastado por guerras, para dizer a verdade não é nem perto disso.

Israel tem sim uma relação pouco amistosa com seus vizinhos, o que não significa que os países vivam em guerra com Israel, na prática, na maioria das vezes, esses problemas se traduzem em questões políticas discutidas do alto dos palanques dos Congressos e/ou através da Imprensa Internacional que faz questão de aumentar e muito a gravidade da situação. Fazer o que? Notícia é o único produto que eles têm para vender!!!

Portanto não se engane, a menos que você descubra a cura do câncer, invente um motor não poluente que custe menos de dez dólares, resolva uma equação que ninguém ainda tenha resolvido ou faça qualquer coisa realmente útil para a humanidade, Israel pode sobreviver sem você e sem a sua qualificação, seja ela qual for.

E outra coisa, não pense que você vai ficar rico em Israel, você vai viver num país com uma super qualidade de vida, com um dos melhores índices de desenvolvimento humano do mundo (IDH), e ter o padrão de vida dos melhores países do primeiro mundo, mas rico, só se você ganhar na loteria.

Ah! Então não existe possibilidade de Israel se envolver numa guerra? 
Claro que existe, óbvio que existe, mas provavelmente se isso ocorrer nada vai mudar em Israel a não ser TALVEZ algumas sirenes que irão soar com um pouco mais de frequência e, provavelmente, ninguém será atingido.

Israel tem um excelente sistema de defesa (iron dome) que intercepta hoje cerca de 90% de qualquer foguete que sobrevoe seu território e o que não pega, normalmente é porque o sistema percebe (calcula) que irá cair em área desabitada. 

Ah! Então não é verdade que Gaza "joga" foguetes em Israel? Sim é verdade, mas o sistema de defesa faz soar uma sirene que faz com que todos tenham tempo de se abrigar e mesmo que você não se abrigue este mesmo sistema de defesa pega a maior parte desses foguetinhos no ar e os destrói, portanto é verdade dizer que eles entram no território de Israel, mas na maioria das vezes não chegam a cair e quando caem não costumam atingir ninguém.

O grande problema de verdade é o efeito psicológico que as sirenes costumam ter sobre pessoas. Aliás isso é tão sério que as pessoas que têm crises nervosas em função das sirenes são consideradas "feridas" pelo governo de Israel.

*Gaza, guerra, sirene e Iron Dome serão abordados mais detalhadamente em posts específicos para o assunto.

E por fim, Israel não funciona como uma grande comunidade onde todos se ajudam, onde não existe pobreza e onde todos vivem em harmonia, isso se chama Utopia.

Israel é tão somente um país, com suas particularidades, seus costumes e com todas as mazelas e alegrias que um país de primeiro mundo pode ter.





segunda-feira, 16 de julho de 2012

Eu Estou Preparado(a) para Viver fora do Brasil?

Agora que você já conhece os critérios de imigração chegou a hora de ser sincero com você mesmo e se fazer a mais importante de todas as perguntas: Eu estou preparado ou preparada para viver fora do Brasil?

Independente de o país escolhido ser Israel, França ou Argentina, é preciso ter em mente que nem todos estão prontos para enfrentar a vida no exterior, longe da família e dos amigos  e tendo que se adaptar a uma nova cultura, novas comidas e o que normalmente é o mais assustador, um novo idioma.

Então, com toda sinceridade olhe para você e pense: eu consigo viver sem o churrasco com os amigos ou sem aquele choppinho de sexta-feira com a galera da faculdade? Vou viver bem com a ideia de que não vou  conhecer o filho da minha irmã ou da minha melhor amiga que vai nascer daqui a seis meses ou não estarei presente no aniversário de 90 anos da minha avó? Sem falar em carnaval, festa junina, natal, ano-novo, aniversários, comemoração da copa, etc etc etc.

Lembre-se, o mundo não vai parar por que você foi morar fora. Os seus amigos vão continuar casando, tendo filhos, se reunindo em festas e viajando juntos. A sua família vai continuar tendo a mesma rotina, todos vão continuar almoçando juntos no domingo, indo à praia, ao shopping, a única coisa que vai mudar é: Você não estará lá! Se você tiver sorte vai ver fotos ou vídeos dos eventos por e-mail ou facebook, mas não fará parte de nada, será um mero espectador (e torcedor) da vida alheia.

E aí? Está pronto? Ainda quer viver no exterior?

Se a resposta for NÃO, fique no Brasil e aproveite a vida com sua família e amigos, pode ser que ainda não tenha chegado a sua hora ou pode ser que nunca chegue, afinal nem todos nasceram com o dom da imigração. É preciso um certo desprendimento e nem todos possuem essa característica!

Se a resposta for SIM, saiba que a vida fora do Brasil é incrivelmente compensadora, em primeiro lugar você vai poder ter acesso a coisas que no Brasil são extremamente caras, depois você será tratado com respeito, viverá com segurança, não precisará mais viver trancafiado atrás de grades. Sem esquecer de mencionar que aqui existe um sistema de saúde e de educação que além de gratuitos são de qualidade.

E o melhor, com o tempo tudo se ajeita, você se adapta, conquista novos amigos, passa a gostar da comida e da língua, encontra um trabalho adequado, com um bom ambiente, que te dê prazer e, o principal, você e seus direitos serão respeitados (vou tratar disso num post à parte), sem falar na tranquilidade de saber que você irá se aposentar dignamente.


Outras Formas de Imigração para Israel

Sobre Aliah eu já falei no post anterior: Aliah - Imigração para Israel

As outras formas mais comuns de Imigração para Israel são: Casamento e Emprego (ou Estudo).

Casamento: Se você se casar com um (a) israelense e quiser morar em Israel, você tem duas opções: A primeira e, que eu verdadeiramente aconselho é, fique um ano no Brasil ou em qualquer outro lugar, esperando que seu casamento complete um ano.

Com um ano de casado você pode fazer Aliah e terá todos os benefícios de um cidadão israelense. Você não é obrigado a aceitar a cidadania israelense, embora eu ache que você não tenha nada a perder em adquirir mais uma nacionalidade. De qualquer forma, aceitando ou não a cidadania você terá todos os benefícios.

Porém, se você não puder ou não quiser esperar um ano, pode vir para Israel no dia seguinte do seu casamento. Você terá direito apenas a residência temporária, que terá que ser renovada todo ano, até o quinto ano, quando então você poderá solicitar cidadania ou optar por permanecer apenas com a residência definitiva ou permanente.

Emprego em Israel: Não vou dizer que seja impossível, mas não é das coisas mais fáceis se conseguir um emprego em israel sem morar aqui e mais difícil ainda se você não tem qualquer vínculo legal com Israel, mas caso você consiga esse emprego, não se preocupe o seu empregador saberá o que fazer. E tem mais, a partir deste emprego as coisas não são nem muito burocráticas, o difícil vai ser mesmo encontrar esse tal emprego por aqui.

Estudando em Israel: Estudar não é propriamente uma forma de imigrar, mas conseguir um visto de estudo em Israel é algo relativamente simples e, levando-se em consideração que é possível estudar em Israel em Inglês, já que muitas universidades e instituições de ensino tem aulas nesse idioma, a ideia fica até mais atrativa. A única desvantagem é que é bastante caro, e com visto de estudo você não pode trabalhar, mas como foi explicado acima, se você conseguir um emprego, basta que seu empregador solicite um visto de trabalho para você, claro que você passará por uma avaliação na imigração, mas em regra não há nada que impeça que você obtenha o visto.

Para maiores informações a respeito de visto e imigração entre em contato com a Embaixada de Israel ou com a Agência Judaica, se for o caso.


Aliah - Imigração para Israel

Para não ficar muito cansativo vou fazer um post sobre Aliah e um sobre outras formas de Imigração.

Na prática existem 3 formas de se imigrar para Israel: Aliah, casamento e emprego.

Aliah (aliá): O Aliah é provavelmente, o jeito mais comum de se imigrar para Israel e também o mais simples.

Quem pode fazer Aliah? 
 o Aliah é um processo de imigração para Israel destinado a judeus por nascimento, descendentes de judeus até o terceiro grau ou judeus convertidos após 5 anos de conversão. Sim, o Aliah é um direito!
E para fazer Aliah, basta que você possa comprovar seu judaísmo ou sua ascendência por meio de uma certidão de judaísmo ou qualquer outro documento, normalmente, emitido por um rabino.

Para fazer Aliah você não precisa ser judeu praticante, basta apenas poder provar sua origem judaica.

Cônjuges cujo o casamento tenha mais de um ano são equiparadas a condição de judeu para fins de Aliah, sem nenhum problema, portanto terão os mesmos benefícios.

Benefícios do Aliah:
Ao decidir vir para Israel você terá alguns benefícios, começando pela passagem área da sua cidade até Israel (em Israel você será levado de carro até a cidade que ficará), você receberá ainda um auxílio financeiro (sal klitá) por 8 meses, terá direito a morar num centro de absorção por 6 meses - Centros de absorção (merkaz haklitá) são prédios de apartamentos que pertencem à Agência Judaica e são destinados aos novos imigrantes que chegam em Israel - Não é de graça, mas é bem barato. Poderá fazer ainda um curso de hebraico gratuito (ulpan) que deve durar em torno de cinco meses e meio e, a partir do 13º mês você receberá uma pequena ajuda de aluguel (pequena mesmo!!!), que diminui ano a ano, até o quinto ano.

Trocando em miúdos, a ajuda financeira não é lá grandes coisas, mas se você resolver ficar no centro de absorção (Merkaz Haklitá) e não estiver interessado em luxo nos primeiros meses, ela vai te bastar e de qualquer forma é melhor do que nada, afinal qual outro país te daria isso?

Os valores variam em função de você ser uma pessoa solteira, um casal sem filhos, com filhos, estar aposentado etc.

Portanto para qualquer esclarecimento a respeito do Aliah, procure a Agência Judaica.
Eles vão te dar todas as informações necessárias, além de todo tipo de suporte desde o aeroporto até sua chegada em israel.

Eu não pretendo me estender muito sobre esse assunto, afinal o blog se chama vivendo em Israel e não Imigrando para Israel, mas como esse é o primeiro passo eu também não poderia deixar de falar.

E só para ilustrar uma foto do nosso Aliah, por acaso nós viemos com um grupo grande, mas esse não é o padrão, o padrão é que o Aliah seja individual mesmo.


Meu marido e eu - 16/07/2009 - Jerusalém

*Nós recebemos nossas identidades israelenses numa cerimônia no Kotel (muro das lamentações), porque viemos num Aliah comemorativo.




A Proposta do Blog

Em primeiro lugar eu não tenho vínculo com nenhum órgão religioso ou político nem do Brasil, nem de Israel.

Esse blog tem por finalidade APENAS mostrar como é ou como pode ser a vida em Israel, que na minha opinião é o melhor país do mundo para se viver (não é perfeito, mas é o melhor!!!)

Esse espaço é  só uma tentativa de esclarecer dúvidas e  apagar falsas crenças que a mídia vende. 

Dúvidas eu responderei com o maior prazer!!! Tenham apenas um pouquinho de paciência porque eu também trabalho, ok?

Sejam muito bem-vindos e fiquem à vontade para comentar.

OBS.: Se o seu objetivo for discutir religião ou reclamar das pseudo-injustiças sociais, veio ao lugar errado. Aqui eu não debato nada, muito menos religião, portanto dê ao mundo a chance de não perceber que você é um idiota e vá embora!!!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...